msptm » » Missão em Accha (Cusco – Peru)

Missão em Accha (Cusco – Peru)

 
 
 

Missão em Accha

Testemunho da Ir. Maria Luísa Huamán Lucana msp

Em tudo somos atribulados, mas não esmagados; confundidos, mas não desesperados; perseguidos, mas não abandonados; abatidos, mas não aniquilados” (2Cor 4, 8-9)

Uma das últimas missões extraordinárias teve lugar em Hacca, Huillcuyo y Tambo, que ficam em Accha. Das seis integrantes destinadas a esta missão, três já conheciam o lugar, mas para as outras tudo ia ser algo novo. Elas tiveram assim a oportunidade de conhecer um recanto mais de Cuzco, uma povoação da que já tínhamos certa referência desde há vários anos. Conhecíamo-la como uma aldeia muito pobre.

Partimos para a missão com muita emoção. A emoção de transmitir Cristo ressuscitado a mais pessoas. A viagem durou muito e, quando já estávamos perto de chegar ao nosso destino, encontrámo-nos com a primeira dificuldade. Com efeito, o caminho estava fechado porque um camião muito grande estava avariado no meio da estrada e não permitia a passagem. Deram-nos esperança de que talvez às 8 horas da tarde tudo estaria arranjado e dispusemo-nos a esperar. Passou uma hora, duas horas… que depois se converteram em cinco dias. Apesar desta dificuldade não desistimos. No dia seguinte, bem cedo, retomámos a pé a nossa viagem. Caminhámos oito horas para chegar a Hacca e a Huillcuyo. Ali visitámos as casas e encontrámos muitos velhotes abandonados, descuidados e sozinhos. Comoveu-nos ver como alguns deles sentiam-se especialmente emocionados ao dizer-nos que… dentro de muito pouco tempo estariam na pátria celestial. No regresso encontrámos muitas jovens estudantes e animámo-nos a realizar uma catequese com elas durante a noite. A este encontro catequético assistiram à volta de cem crianças e doze pais de família.

Quando estávamos no terceiro dia da missão tivemos uma experiência inesquecível. Dêmo-nos conta de que o Maligno não estava contente com esta missão. Regressámos esgotadas da missão que fizemos a pé mas ainda com desejos de realizar uma catequese durante a noite. Quando chegámos à comunidade, havia uma vista bonita da lua cheia, o céu estava limpo e tinha muitas estrelas. Mas este dom de Deus durou apenas uns minutos. De repente tudo se converteu em trevas e escuridão, com a chegada de um autêntico ciclone, que num primeiro momento nos encheu de temor. Mas foi apenas um temor momentâneo que depois, por graça de Deus que nunca abandona os seus missionários, converteu-se em força e vontade de continuar com a missão.

Nesta missão passámos por várias dificuldades para poder realizar as catequeses. Contudo para Deus não há impossíveis e assim, apesar das longas caminhadas e fadigas que tivemos, pudemos realizar as nossas visitas às pessoas nas suas casas, dando-lhes catequese e rezando com elas o Terço. Finalmente, o Senhor concedeu-nos um grande presente, pois, com a chegada de um sacerdote daquela zona, pudemos participar na Santa Missa e receber a Eucaristia, que com tanto entusiasmo esperávamos.

Irmã Maria Luísa Huamán Lucana msp.

Leave a reply

Your email address will not be published.